Ferreira & Melo

IMPRENSA

    OAB CONSEGUE DUAS VITÓRIAS NA REDAÇÃO DO FUTURO CÓDIGO DE PROCESSO CRIMINAL - 31/01/2011

    O presidente da Comissão Nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Análise do Projeto do Código de Processo Penal (CPP), Rene Ariel Dotti informou hoje (31) ao presidente nacional da entidade, Ophir Cavalcante que a Comissão conquistou duas grandes vitórias na redação final do Substitutivo no Senado, ocorrida em reunião realizada recentemente. Segundo Dotti, o instituto do habeas corpus foi restaurado em sua plenitude de proteção da liberdade, assim como consta no art. 5º, LXVIII da Constituição. A redação do art. 663 do Substitutivo repõe, segundo ele, a "dignidade do remédio heróico nos mesmos termos da declaração da lei fundamental".
     

    O parágrafo relacionado à concessão do habes corpus foi aprovado da seguinte forma:


    "Conceder-se-á habeas corpus sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder, ressalvados os casos de punições disciplinares militares"

    O complemento: ".. ressalvados (..) é da lei ordinária e com redação melhor

    que a do art. 648 do CPP vigente:"salvo nos casos de punição disciplinar".

    A nossa Comissão em várias oportunidades, inclusive durante a audiência

    pública do Senador Renato Casagrande, protestou contra a mutilação do HC

    que, no anteprojeto e em redação do primeiro substitutivo, previa o writ

    exclusivamente para os casos de efetiva prisão. Assim dispunha o modificado

    art. 636:

    "A coação considerar-se-á ilegal:

    I - quando não houver justa causa para a prisão ou para a sua decretação;

    II - igual ao atual inciso II, do art. 648, vigente;

    III - igual ao atual inciso III, do art. 648, vigente, com a substituição da

    expressão "coação" (CPP) por "prisão"

    IV - idem, ibidem

    V - igual ao atual inciso V, do art. 648, vigente

    VI - quando o processo a que se refere a prisão ou sua decretação for

    manifestamente nulo;

    VII - qundo extinta a punibilidade do crime objeto da investigação ou do

    processo em que se determinou a prisão"

    Parágrafo único. Não se admitirá o habeas corpus nas hipóteses em que seja

    previsto recurso com efeito suspensivo.

    A redação final do Substitutivo, está assim:

    Art. 664.

    "A coação considerar-se-á ilegal

    I - quando não houver justa causa (mesmo com o acusado em liberdade)

    II - idem, ibidem

    III - quando quem ordenar a coação não tiver competência para fazê-lo

    IV - idem, ibidem,

    V - idem ibidem,

    VI - quando o processo for manifestamente nulo

    O parágrafo único foi revogado

Rua Vergueiro nº 1.353 - CJ 1.309 - Paraíso - São Paulo - SP CEP 04101-000 - 55(0XX11) 3225-4330 - e-mail: contato@ferreiraemelo.com.br
2010 - FERREIRA E MELO ADVOGADOS ASSOCIADOS . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS .Socci Comunicação